Um local para homens conscientes de seu papel. Obsv.


Tema g0y no YouTube, uma breve análise dos milhares e milhões de acessos.

27/10/2016 22:20

Uma coisa podemos afirmar com certeza, no ano de 2016, a prática sexual g-zero-y ainda é "mística" ou algo assim, digamos misterioso... para a maioria, acostumada a só pensar o mundo polarizados entre viadões versus machões!

Mas os acessos no YouTube chamam a atenção. E o bom é que a maioria dos vídeos são de origem de pessoas que falam ou só  divulgam o que pensam, sem compromissos com o movimento g0y, nem com ideologias favoráveis ou contrárias, vão pegam a camera e "soltam o verbo":

 

No exterior podemos citar o exemplo "corajoso" do  clipe da música Bromance , já passou dos 30 milhões de acessos no YouTube, cantam o afeto entre dois homens só que reforçando no refrão que “não há nada gay nesse amor”.

 

No Brasil são tantas iniciativas que chega a ser injusto realizar uma seleção, mas certamente algumas chamam a atenção, porque assim como no Clipe Bromance, também foram realizadas por celebridades nacionais.

Padre Fábio de Melo, por exemplo, contrariando a visão dominante na igreja Católica Romana, afirmou em seu programa no Canal Canção Nova que homoafetivo e homossexual são diferentes. Que ser homoafetivo é a coisa mais normal do mundo, só que é um comportamento "perigoso" no sentido que pode estimular a prática homossexual se ela não for bem trabalhada. O vídeo "intrigante" do padre foi postado diversas vezes no Youtube, todas com milhares de visualizações. Em outro vídeo o polêmico Dr. Olavo de Carvalho se irrita com a deputada Maria do Rosário que disse que afeto e sexo são a mesma coisa, e quando foi rebater soltou uma frase mais pró-g0y do que nunca, nas palavras de Olavo de Carvalho em seu vídeo: "Só há o homossexualismo com o coito anal, se não há coito anal, não há nada", com isso pegando a todos de surpresa, especialmente os seus opositores de esquerda que esperavam algo mais a favor do hétero tradicional.

 

Diversos Youtubers, rockeiros, sexólogos, psicológos e até religiosos também já se pronunciaram no YouTube. Localizamos essa compilação que mostra em vídeo a fala de divervos deles, sendo um dos pontos altos do vídeo o trecho a partir dos 22:40 min que mostra um casal onde a mulher discute com o marido o que é um g0y! 

 Isso aumenta a aceitação dos g0ys assumidos? Isso não sabemos, mas uma coisa é certa, em tão pouco tempo de "existência" em apenas 5 anos desde que os blogs do Fratman, Joseph e Edu em 2011 começaram a divulgar conceitos, da resitência e até mesmo descrédito total por parte de muitos, hoje o Brasil cada vez mais sabe que nem todo homem que gosta de outro, ou que sente afeto por outro do mesmo sexo, é necessariamente homossexual em sua prática íntima. 

É uma quebra de dicotomia e isso é muito bom, não se pode negar!

—————

Voltar