Um local para homens conscientes de seu papel. obsv.


Mais um desafio para a Ciência

08.07.2014 17:55

Dessa vez a grande surpresa veio dos ursos, favor não confundir com os bears como são apelidados os "ursos" ou os homossexuais peludos. Estamos falando é do urso; o animal, o mamífero de grande porte.

A ciência que estuda o comportamento animal - a etologia, tem especialmente nas últimas décadas, defendido o comportamento homossexual masculino como natural por ser possível de ser visto em alguns animais. Sendo portanto um comportamento próprio da natureza e desvinculado de questões de valores sociais.

No entanto a partir da evolução do conceito g0y nos Estados Unidos e na medida que este se difundiu pelo mundo alguns cientistas começaram a ver ou a rever o mesmo fenômeno com  outros olhos.

Um dos vídeos mais difundidos no YouTube sobre o comportamento gay dos leões, por exemplo foi revisto por um étologo e pode ser assistido com legendas também em português. Nele se defende que o que antes achava que era gay, na verdade são só atos de simulação e de troca de afeto e carícias. Não foi observado nenhum ato de cunho mais sexual, no sentido de uma cópula.

Agora surge mais um desafio para os etólogos, se a hipótese de que o comportamento g0y é natural e pode ser visto nos animais, os ursos por sua vez mostraram-se bem mais "safadinhos". Os ursos estavam fazendo sexo oral um no outro. Se o observado não é nenhuma novidade para nós g-zero-ys, que sabemos que o contato entre machos humanos é natural, pelo que parece também nos bichos cada vez mais observa-se que ser g0y é regra, não exceção.

A matéria científica está em inglês, aqui: http://www.huffingtonpost.com/2014/06/17/brown-bear-oral-sex_n_5500255.html

O compormento sexual observado em alguns ursos chegou a ser classificado como aberrante pela Polish Academy of Science, a noção era que ele era possível de ser visto apenas em animais em cativeiros e em condições precárias. No entanto os ursos croatas estão em adequadas e perfeitas condições, portanto o posicionamento inicial necessitou ser revisto.

Para os leitores do site que sejam mais acadêmicos, o artigo científico na íntegra foi publicado na edição do mês de junho do corrente ano da revista Zoo Biology de autoria do Doutor A. Sergiel e colaboradores. 

—————

Volver