Um local para homens conscientes de seu papel. obsv.


FAQ - Perguntas Frequentes

1 - Eu não consigo entender a diferença entre um homem g0y e um bisex. Qual a diferença entre um Hétero-g0y e um bissexual?

Começando pela frase que se repete muito: "não entendo a diferença entre um homem g0y e um bisex", então, para começar, é bom frisar que um homem g0y não precisa ser necessariamente um homem heterossexual - a maioria dos g0ys são, mas maioria não significa 100%. Dessa forma, há g0ys que são homo-afetivos exclusivamente. Dessa maneira, nessa vertente, fica muito mais evidente que um homem g0y não é um bisssexual.

De qualquer forma, focando somente os hétero-g0ys, objeto do site. Fica mais fácil diferenciar qual é o limite entre um e outro, no momento que observa-se que o que comumente chamamos de homossexual, como se fosse uma palavra genérica, na verdade tem-se que resgatar que o termo homossexual é uma composição e junção de duas outras palavras: HOMO e SEXUAL, ou seja, por mais óbvio e redundante que possa parecer, homo-sexual é aquele que pratica SEXO com pessoas do mesmo gênero, a mesma lógica para o termo também composto: BIssexual. 

Dessa forma, fica simples entender a diferença. Um Hétero gØy não pratica sexo com outros homens, portanto não é um homem bi-sexual (isto é, homem que transa com homens e mulheres).

Um gØy pode ser um hétero fora de uma 'normativa tradicional', mas ele preserva alguns traços e faz sexo exclusivamente com mulheres. A homossexualidade enquanto orientação não é negada por nenhum gzeroy, o que é negado sim é a prática homo-sexual; que não é um "sentimento", é um "comportamento", sexo e afeto são coisas bem diferentes. E não chega a ser uma diferença sutil ou uma nuance como alegam alguns.

A questão central não é de atração, mas sim de comportamento sexual. E não existe nesse contexto nenhuma confusão conceitual, pois as mil possibilidades e variações não sexuais e sim eróticas, não são sexo, são meramente preliminares na visão hétero tradicional, ou brincadeiras sacanas na visão hétero g0y.

Para uma comprenssão inicial é suficiente, mas se preferir uma diferenciação mais sofisticada, indicamos a discussão dos conceitos nas Ciências Sociais.

 

—————

2 - Um hetero-g0y pode amar um outro homem?

SIM, por que não. Embora seja mais difícil para as mulheres entenderem isso: que há muitas vezes a separação entre o sexo e o afeto como sendo coisas diferentes. Mas, o caso é que todo g0y sabe é que ser homem não precisa ser um "tigrão", "machista" ou "animal", um comportamento sexual reto (ou correto) não obrigatoriamente precisa estar desvinculado do amor e do afeto.

—————

3- O que é um hetero-g0y? O que é um homem g0y? Sou heterossexual e será que sou também um gØy?

Essa questão é central e por isso encontra-se explorada na seção: http://heterogoy.webnode.com/sobre-nos/

—————

4 - O movimento gØy veio de onde? Quem é o líder? Tem fins lucrativos?

Como dito na página sobre nós, o termo gØy sem dúvidas nasceu nos meados da primeira década dos anos 2000, nos EUA. Entretanto, Homens que apresetavam o comportamento gØy certamente já existiam. Com o cunho e a veiculação do termo o que ocorreu na prática foi que o fenômeno gerou conceitos e definições, o que para alguns mais céticos seria apenas mais um "rótulo", e certamente é impossível fugir de rótulos, por outro lado, pensando bem com o termo g0y foi criado também uma identidade.

Identificação esta importante para vários homens que antes não tinha uma referência conceitual, ficavam perdidos (e milhões ainda FICAM - pois o termo ainda não é tão conhecido) e sem ter um elo ou uma identidade própria. Assim como nós, eles também tem a noção de que não são viados, não são bichas, não são travestis, não são heteros tradiconais, então são o quê? Agora eles já tem um nome.

O fato de denominar-se o que antes não tinha nome, foi um aspecto que continua sendo muito saudável e permite que diversas pessoas ao redor do mundo com o mesmo sentimento possam agrupar-se e agir em conjunto, a isso chama-se de movimento social g0y. Não há líder específico, (ou às vezes há diversos líderes locais, que promovem maior divulgação ou articulação) e enquanto movimento certamente não tem fins lucrativos.

—————

5 - Não sou homossexual e não entendo porque um g0y pode ser chamado de GAY-ZERO? O que é gay-ativo, gay-passivo, gay-versátil e gay-zero? Um gay-zero não deveria ser hétero? Qual é a diferença?

Para HeterogØys a relação deve ser homo, ou seja deve ser igualitária. Para os g0ys, a relação homo-sexual tende a ser uma relação sexual não igualitária, portanto distante do "homo" no seu sentido mais amplo e com a figura de um ativo e outro passivo aproxima-se da imitação de uma relação "hetero", como se fosse necessário (e não é) a presença de papéis típicos da relação de machos e fêmeas.

Denomina-se gay-ativo, aquele que penetra; gay-passivo diz respeito a aquele que é penetrado (isto é, o 'gay' clássico e típico que povoa a mente de muitas e muitas pessoas); o gay-versátil seria o que é capaz de fazer os dois (dar/comer) e o gay-zero seria justamente aquele que não é nenhum dos três anteriores.

O nome composto gay-zero confunde no momento que pode levar à interpretação de que um gay-zero = heterossexual, o que não é verdade, por analogia um guaraná zero, não é aquele que virou fanta, mas apenas um guaraná que foi eliminado um único componente, no caso o açucar. No caso dos gays é justamente isso, o gay-zero-anal (ou g-zero) seria um homem que sente atração por outro homem, mas não pratica um dos componentes do mundo gay, um g-zero não realiza sexo anal durante contatos íntimos masculinos, podendo ser chamando também de gouine, homo afetivo ou simplesmente o termo que adotamos: g0y.

Supostamente, repetimos suposta pois não há ainda estudos sérios e sistemáticos sobre o assunto, mas observa-se que aparentemente a transição do ativo +1 para a posição zero é relativamente mais fácil do que transição do passivo -1 para a mesma opção que mostra-se ser bem mais díficil, longo e cheio de recaídas. Aparentemente também, apesar de variar caso a caso, há ainda uma afinidade um pouco maior entre nós g0ys e os gays ativos e os bissexuais do que com o restante do mundo político homo-sexual, GLBT atual.

—————

6 - Toda frat masculina tem que ter essa "obrigação" de ter sempre um nome com letras gregas?

CLARO QUE NÃO. Há diversas fraternidades com nomes bem brasileiros, como: Os Gaviões, Os ManØs da Punheta, ou às vezes na malícia, uma junção do português com letras gregas como 'Os πk' como no logo ao lado.

Mas normalmente a referência a nomes gregos deve-se somente a questão de que é na Grécia Antiga que há o registro histórico de que o comportamento masculino g0y era absolutamente normal e incorporado à cultura da época, o bromance era até valorizado e desejado pela sociedade.

Convém registrar porém que embora grande parte das frats masculinas sejam espaços g0y friendly's, há diversas fraternidades, que na verdade são grupos organizados e que não tem essa conotação, são espaços fraternos e humanitários, onde homens (e às vezes algumas mulheres) convivem com o intuito da recreação, lazer, convivência social e do agir em prol de uma causa, sendo bastante comum em outros países.

—————

7 - O que é um Bromance? É coisa de Hétero gØy? É verdade que há relatos bíblicos de homoafetivade?

Bromance, ou seja o “Romance entre Brothers”, é uma palavra que foi cunhada pelo editor Dave Carnie que utilizou-se do neologismo criado na década de 1990 para se referir especificamente ao tipo de relações que se desenvolviam entre os skatistas que conviviam muito tempo juntos e dessa forma desenvolviam uma profunda relação de intimidade, acontece que entre os skatistas rolava algo diferente: era um romance, mas onde não havia sexo.

A natureza moderna e as circunstâncias do bromance é o que o separa das práticas homossociais mais gerais e comuns (hetero tradicionais) das amizades românticas (hetero liberais ou hetero gØys). 

Convém apenas como resgate histórico, relatar que apesar de não ser referenciado como Bromance pois obviamente essa palavra não existia... ao entender-se o conceito e a ideia do que seja o bromance, nota-se claramente que essa situação não é nova. A descrição clássica de Aristóteles para a amizade muitas vezes é tomada como o protótipo do bromance. Ele escreveu em cerca de 300 aC; ou seja há mais de dois mil anos atrás.

O bromance histórico e mais conhecido encontra-se registrado na Bíblia no antigo testamento. Trata-se de David e Jonátas que apesar de machões heterossexuais beijavam-se, choravam juntos e a profunda amizade, a união e o amor entre os dois era tão intenso que mesmo naquela época foi reconhecido pela sociedade, como sendo superior ao amor que os dois possuíam pelas mulheres.

Para nós esse relato breve e resumido, seria suficiente, mas por tocar em uma citação histórica e/ou bíblica que pode gerar muita discussão e polêmica, seremos mais precisos e com maior riqueza de detalhes em prol da verdade e da fidedignidade:

 Então vamos lá: Jónatas era o filho do Rei Saúl e primeiro na linha de sucessão. Mas Samuel indicou David para ser o próximo rei o que trouxe grande preocupação a Saúl:

"a alma de Jónatas se ligou com a alma de David; e Jónatas o amou, como à sua própria alma" 1 Samuel capítulo 18: versículo 1

" E Saul naquele dia o tomou, e não lhe permitiu que voltasse para casa de seu pai.  E Jônatas e Davi fizeram aliança; porque Jônatas o amava como à sua própria alma.  E Jônatas se despojou da capa que trazia sobre si, e a deu a Davi, como também as suas vestes, até a sua espada, e o seu arco, e o seu cinto." 1 Samuel capítulo 18: versículos de 2 a 4

(…)

"E, indo-se o moço, levantou-se Davi do lado do sul, e lançou-se sobre o seu rosto em terra, e inclinou-se três vezes; e beijaram-se um ao outro, e choraram juntos, mas David chorou muito mais."  1 Samuel capítulo 20: versículo 41

(…) E para que não reste dúvidas:

"Angustiado estou por ti, meu irmão Jônatas; quão amabilíssimo me eras! Mais maravilhoso me era o teu amor do que o amor das mulheres." 2 Samuel 1:26

O relato bíblico apresenta um intenso relacionamento de amor entre esses dois homens e, de forma textual, qualifica este amor como superior e grandioso, tendo eles inclusive feito uma aliança de compromisso com a relação. Tal aliança se provou verdadeira pois Jônatas, segundo a passagem, amou David até sua velhice, mesmo depois da morte de seu companheiro. Em função do explícito caráter homoafetivo do relato bíblico, tal é tido como fonte de constrangimento à maioria dos cristãos tradicionais, a ponto de algumas versões bíblicas deixarem de traduzir a palavra "amor" (na passagem "...mais maravilhoso me era o teu amor do que o amor das mulheres") como "amizade".  Mas certamente, não estamos nos referindo nesta situação a uma amizade homossocial convencional, mas sim uma amizade de cunho homoafetivo.

Enfim, caso você seja cristão e, talvez contaminado por visões homofóbicas extremas de muitas igrejas, assim pedimos que antes de falar ou pensar qualquer coisa pegue a sua Bíblia caso a possua em sua casa e vá direto na fonte. E verá que aqui tal como na “versão oficial” acreditamos que os heróis bíblicos efetivamente não eram homossexuais, mas o Bromance e o caráter afetivo e homo erótico estão evidentes. Não há como nós hetero gØys, nos calarmos simplesmente para adequar-se à posição [ainda] majoritária dos religiosos ortodoxos que apontam todos esses trechos como referindo-se apenas a relações amistosas muito fortes; uma vez que a despeito do texto, por eles mesmos considerado sagrado, fala-se literalmente de "amor" de um pelo outro, sendo esse sentimento, como observamos, relatado como ainda maior do que o tido pelas mulheres, em uma possível referência a uma relação típica do que atualmente concebe-se por bromance.

Da mesma forma, antes que militantes GLBT aproveitem-se desses argumentos e relatos que certamente são de passagens bíblicas com explícita demonstração de comprometimento fraternal entre Davi e Jônatas, é necessário pontuar que interpretando o texto conforme as tradições do oriente médio à época, e considerando que a lei mosaica reprovaria o ato homossexual, e ainda, concluindo que segundo os valores e os próprios costumes judaicos nunca se escolheria para rei do povo judeu um homossexual. Da mesma forma, completando-se esse mesmo raciocínio lógico, um contexto vexatório não seria registrado para a posteridade como algo heroico, emerge então um contraponto para que seja visto como algo intermediário, se por um lado não homossexual, por outro lado não há como explicar a situação na maneira dos hermeneutas conservadores como se em um esforço de retirar o possível conteúdo homoafetivo do relato bíblico.

Após esse parêntesis, retornando-se à questão do Bromance, muitos hoje ainda a defendem como sendo uma relação hetero tradicional para com outro hetero tradicional, mas obviamente isso não convence muito, por que utilizar o termo “romance”? e não apenas amizade, como normalmente conhecemos? SIM, para nós embora em muitos casos, não se fale claramente, o Bromance é uma situação de amor não platônico (há toques, contatos, beijos ou abraços, etc...), mas não há sexo ou penetração. Portanto normalmente é uma relação típica entre dois heteros gØys, ou entre um hetero gØy e um homem gØy.

Por fim, além da filosofia de comportamento g-zero-y estar ganhando corpo nos últimos anos, de acordo com um estudo de 2008  realizado na Universidade Rutgers, um outro fator a influenciar o bromance entre homens heteros, seria o fato de que os homens estão se casando mais tarde.  No Projeto Nacional do Casamento (National Marriage Project), constatou-se que a idade média do primeiro casamento de um homem é de 27 anos, contra 23 anos na década de 1960. Verificou-se também que os homens com maior escolaridade estão esperando até seus 30 ou mais anos para se casar. A pressão financeira de permanecer solteiros pode estar levando os homens a tornarem-se companheiros de quarto por longos períodos, promovendo o aumento do bromance, nas épocas atuais. Parece ser convincente, e nós hetero g0ys não discordamos dos resultados do estudo em foco, mas certamente essa explicação não parece ser suficiente.

                    Nós heteros g0ys, sem medo, assumimos que o bromance faz parte do contexto e que vai além de uma relação homossocial, para nós trata-se claramente de uma relação de amor não platônico, entre homens heteros e que por isso não envolve sexo, mas envolve afeto.

—————

8 - Como de pronuncia gØy? Como se fala e/ou como é o som desse novo termo?

Escrita Pronúncia
G0y ou gØy gói
gouai
dizirouai
g-zero-y

diziroai

djízirouai

g-y diuai
gay-zero gueiziro

     Além dessas pronúncias que derivam diretamente do inglês, há diversas falas/escritas "aportuguesadas", como: goy (mesma pronúncia de boy, trocando-se pela letra 'g'), g-zero (gê-zero) e demais sons que dependendo do interlocutor ao invés do 'ziro' do inglês podem ser ditas zero diretamente, exemplo: gueizero, gêzeroipysilon, etc.

     Estima-se que hoje um pouco mais da metade (algo em torno de 60%) optem pela pronuncia gói; mas, convém frisar que todas as pronúncias estão corretas.

 

—————

9 - Qual a diferença entre homossexual e homo afetivo?

Essa foi uma das perguntas que mais se repetiu por meio da nossa página de contatos. Como mostrou-se de uma certa forma recorrente resolvemos incluir aqui na nossa FAQ, para um esclarecimento maior sobre o assunto.

Existe uma relação entre os dois termos e isso é motivo para algum ruído ou confusão conceitual, para os que estão tendo os primeiros contatos com os conceitos g0ys.

A figura ao lado mostra por meio de uma diagrama a relação entre os dois termos.

Dessa forma fica mais fácil compreender as questões conceituais, o homo afetivo - relacionado como o termo g-zero-y  e o homossexual, ambos podem ter como orientação sexual presente a homossexualide, no entanto diferenciam-se no aspecto comportamental. No entanto, para alguns homo afetivos a heterossexualidade é a orientação sexual predominante, por isso a homo afetividade não precisa possuir relação direta com uma sexualidade polarizada (hétero versus homo), pois a noção de afeto é bem mais ampla do que o sexo.

Dessa maneira torna-se central para o entendimento do que seja g0y é conseguir separar os conceitos de homo-sexual e de homo-afetivo.  Nesse caso as palavras compostas foram escritas com hífen apenas para dar ênfase, pois este é o cerne da questão. O termo homossexual remete ao ato sexual entre iguais, já o afeto remete a questões mais amplas que envolvem o carinho, o toque, o contato íntimo, etc... 

Dessa forma não há confusão conceitual, o que sobressai de forma direta, pela leitura da figura ilustrativa, é que todo homossexual pode ser um homo afetivo, mas nem todo homo afetivo chega a ser homossexual na sua prática.

 

—————

10 - Como enviar a minha dúvida

Utilize-se da seção 'contate-nos' aberta para esse fim.

 

 

—————