Um local para homens conscientes de seu papel. Obsv.


Duvidas sobre o tópico Orientação Sexual

Pelo que entendi do modelo, é mais fácil ser ex-hétero do que ser um ex-gay?

Marcio Campos, 32 anos, Salvador, Bahia, Brasil
Rafael Castro, 27 anos, São Paulo, SP, Brasil
Silvio. 18 anos, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Pablo, 23 anos, Cordoba, Argentina
Caio M. Britto, 35 anos, Fortaleza, Ceará, Brasil. 

SIM, isso mesmo, o movimento para tornar-se ex-gay ocorre num movimento bottom-up e que é mais complicado e díficil. Mas não impossível. Esse movimento de transição torna-se mais díficil dependo do nível da condição (se 3, 2 ou 1).

—————

Como fica a questão das lésbicas? Essa tal força centrífuga da região bisex existe também no caso das mulheres?

Roberta Siqueira, 25 anos, Recife, Pernambuco, Brasil
Maria Carla, 42 anos, Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil
Silvia Carlão, 37 anos, Eunapólis, Bahia, Brasil.

O modelo g-zero-y aplica-se somente à sexualidade masculina. Se a sexualidade masculina já mostra-se complexa, a feminina aparentemente é ainda mais difusa e com muito mais nuances. A sexualidade feminina, por exemplo não parece ser tão fálica e é muito mais subjetiva e afetiva indepentemente da mulher ser hétero ou homo, uma outra diferença que se impõe é que dificilmente entre as mulheres lésbicas encontram-se o par feminino-feminino, o mais comum e vísivel é o par com mulher mais masculinizada e outra sendo uma parceira mais feminina, já o comum no comportamento g0y é o par masculino-masculino, de qualquer forma a prática da gouinage possui interfaces com a prática g0y apesar de ainda não ser tão clara nesse momento no que tange às suas fronteiras.

 

—————

Não faz sentido dividir os gays em três categorias. Que bobagem é essa?

Claudio Pikão, 33 anos, Curitiba, Paraná, Brasil
Juan Lorenzo, 21 anos, Guayaquil, Equador.

Os g0ys prezam pela relação igualitária no sentido mais amplo da palavra HOMO. A figura do ativo e do passivo, necessária para haver a relação gay, desequilibra a relação homossexual. O movimento LGBT prega a igualdade entre os diversos tipos de gays, os ativos, os versáteis e os passivos, nesse ponto também concordamos, todos são gays indepentemente do seu comportamento. Entretanto essas categorias existem, sempre existiram e não foram criadas pela filosofia g-zero-y, apenas mostramos que as diversas condições estão relacionadas a diferentes resistências à mudança. O modelo exposto é um modelo de movimento.

—————

Gostei do modelo, pois sempre senti da pele, essa força da instabilidade de ser bissexual. Tem algum nome pra essa força centrífuga? Acabei me tornando um bisex da região 05, meu sonho é ser hétero e g0y isso seria difícil?

Marcelo P. Silva, 35 anos, Balneário Camboriú, Santa Catarina, Brasil.

Marcelo, o nome dessa força psíquica seria zuik e a interpretação deriva do fato que essa região torna-se instável, poucos conseguem se sustentar nessa região permanecendo no longo prazo, sendo 50% hétero e 50% gay. Teoricamente, é isso que na prática você relata, essa força invisível empurra a pessoa para um dos lados continuamente, e assim a pessoa teria que lutar contra ela o tempo inteiro para manter-se. Quanto a sua dúvida, que acho que é a parte que mais lhe aflinge, se é casado, manter-se num casamento de acordo com os nossos atuais costumes e com um comportamento predominantemente homossexual é sinônimo de conflito na certa, você teria que pesar os prós e contras, e isso cabe somente a você. Procurar conhecer e ter amizades com outros g0ys lhe ajuda nesse processo, o que podemos adiantar que o status de bissexual e o hetero-g0y apesar de não serem tão distantes, representam diferenças no que diz respeito à maior estabilidade e até mesmo na boa convivência com o sexo oposto.  

—————

Os g0ys não são todos unidos? Então, porque entre o g0y exclusivamente homo afetivo e o g0y que pega mulheres há três regiões? Isso não distancia?

Paulo Roberto, 25 anos, Maceió, Alagoas, Brasil.
Crisóstomo, 30 anos, Sete Lagoas, Minas Gerais, Brasil.

Sim para ser g0y não importa a orientação sexual, que pode ser mais homo ou mais hétero. O g0y não retira a condição heterossexual, retira apenas a condição homossexual e a bissexual. A diferença entre um hétero g0y e um bissexual da região 07 é tão somente a prática homossexual consumada, seja ela como ativo ou como passivo. Os g0ys exclusivamente homo afetivos possuem muitas afinidades com os héteros e com os bisex, e embora no modelo a coisa esteja desenhada de uma forma linear, no mundo como ele é, a sexualidade não é tão linear e a região da bissexualidade não mostra-se larga como as demais, por isso a sua tranposição não é tão díficil, seja pela própria zuik (força de empurrão da região 06), seja pela transposição da bissexualidade transitória para a bi-afetividade não ser distante em termos de valores, cultura e costumes.

 

—————